lahaine.org

compartir

                          

Dirección corta: https://lahaine.org/fQ6Q

convertir a:
Convertir a ePub  ePub        Convertir a pdf  pdf

  tamaño texto

  enviar          imprimir


traductor

11/02/2020 :: Nacionales Galiza

[Video] Manifestaçom multitudinária em defesa da sanidade pública

x Galiza Contrainfo / Galiza Livre
Miles de galeg@s en Compostela en defensa de la sanidad pública

Milhares de pessoas assistirom à manifestaçom convocada pola Plataforma SOS Sanidade Pública contra os curtes derivados da reforma da Lei Galega de Saúde aprovada unicamente polo Partido Popular que, segundo o porta-voz da Plataforma, Manuel Martín: “pretende transformar o sistema sanitário numha oportunidade de negócio para as empresas multinacionais e os fundos de investimento que pugérom os seus olhos na Sanidade Pública Galega deteriorando-a, desmantelando-a e privatizando-a”.

A manifestaçom saiu às 12 horas da Alameda com as palavras de ordem: “nom somos números, somos pessoas”, “Feijoo escuita, o povo está em luita”, “Feijoo atende a sanidade nom se vende, aqui está o povo que a defende”.

O percurso acabou na Praça da Quintá com a leitura do manifesto da mao do dramaturgo Quico Cadaval, quem assinalou: “os recortes de pessoal, orçamentos e equipamento nos Centros de Saúde fijo com que se perdesse qualidade e capacidade resolutiva, enquanto a populaçom doente deve esperar dias ou semanas para ser atendida nos mesmos”. Também houvo momentos para lembrar a luita contra o feche da sala de partos de Verim e o deterioro dos serviços de saúde no rural:

Suprimirom-se áreas Sanitárias e estám-se a desmantelar os hospitais comarcais, nos quais se continuam a fechar serviços para além da carência de profissionais habitual, situaçom que está afastando à populaçom rural da atençom hospitalar e incrementando a desigualdade, em detrimento de áreas mais pobres, envelhecidas e com problemas de comunicaçons.

Quico Cadaval, manifesto SOS Sanidade Pública.

Finalmente o ator e diretor denunciou o estado lamentável das listagens de aguarda que “continuam a amontoar a milhares de doentes pendentes de consulta, provas de diagnose e cirurgia”, servindo de justificaçom para “enviar a milhares de pacientes a hospitais privados concertados”.

O encerramento do ato contou com as intervençons das poetas Lucia Aldao Maria Lado; junto a Aurora Sola, ativista da Plataforma pola Defesa da Sanidade Pública de Monterrei.

A seguir, a crónica audiovisual dos nossos parceiros: Galiza Contrainfo:

compartir

                          

Dirección corta: https://lahaine.org/fQ6Q

 

Contactar con La Haine

Envíanos tus convocatorias y actividades!

 

La Haine - Proyecto de desobediencia informativa, acción directa y revolución social

::  [ Acerca de La Haine ]    [ Nota legal ]    Creative Commons License    [ Clave pública PGP ] ::

Principal